Uvas Autóctones, é de beber?

vitivinicultura

Existem com certeza mais de mil variedades de uvas viníferas pelo mundo, e muitas delas são autóctones, ou seja, nativas e cultivadas apenas num determinado local. Portugal, Grécia e Itália são exemplos de países produtores de excelentes vinhos feitos com uvas regionais.

Só em Portugal, há cerca de 250 uvas autóctones, e só uma pequena parte delas é plantada em outros países. Touriga Nacional na região do Dão, Touriga Franca ou Tinta Roriz no Douro e Alicante Bouschet  no Alentejo são bons exemplos lusitanos.

Mas a maioria das cepas mais conhecidas internacionalmente são de origem francesa, isso por causa da tradição histórica da França na cultura do vinho, determinando durante séculos um padrão mundial de qualidade.

Os vinicultores do Novo Mundo, seguindo esta referência, trataram de plantar variedades como Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Malbec, Chardonnay e Sauvignon Blanc, todas de origem francesa, eternizando esta dominação dos nomes, mas não dos estilos, pois é importante lembrar que uma mesma variedade de uva, plantada em locais de clima e solo diferentes, produz vinhos com características distintas.

O bom é garimpar e comparar, na taça!