Cabernet Sauvignon do Chile, é tudo igual?

post

Na América Latina, o Chile se destaca no mapa vinícola mundial como um produtor de destaque, principalmente em tintos das uvas Cabernet Sauvignon e Carmenere e brancos de Sauvignon Blanc. Sobre os tintos feitos com a “Rainha das Uvas”, conheço degustadores que tendem a padronizar estes vinhos como muito herbáceos, pesados e sempre iguais, com aromas de goiaba madura e pimentão, mas a verdade é que, sobretudo nos vinhos de média/alta gama, os chilenos fazem alguns dos Cabernet Sauvignon mais conceituados do mundo, na opinião de especialistas.

Varietais como Santa Rita Medalla Real, Terranoble Reserva Terroir, Peñalolen, Cousino Macul Antiguas reservas, Don Maximiano Errazuriz, Marques de Casa Concha, Carmem Gold Reserva são apenas alguns exemplos. Isto fora os grandes “bordeauxs” chilenos, que tem a C.S. como dominante no corte, como os clássicos Montes Alpha e Alma Viva.

E dá para perceber a constante evolução nos últimos anos, em que a vinicultura chilena vem sabendo amenizar os efeitos do sol que brilha sempre em toda a extensão vertical do país, na Cabernet Sauvignon, de maturação tardia, amenizando assim a consequência de níveis alcóolicos mais altos e menos acidez. Isto tem sido corrigido através de vários estudos sobre a monitoração da colheita e a utilização de vinhedos mais próximos dos Andes, o que vem resultando em vinhos desta casta com mais elegância e equilíbrio.

Concordo portanto com o que diz Patrício Tapia, um grande especialista em vinhos do Chile, editor do Guia Descorchados:“é difícil generalizar o caráter do cabernet sauvignon chileno”.

Das 4 zonas vinícolas chilenas: cordilheira, vale central e costa, é importante observar que o Vale de Aconcágua, a noroeste de Santiago é quente e traz um cabernet sauvignon com corpo mais amplo, níveis mais altos de álcool e mentol. O Vale do Maipo, na parte sudoeste de Santiago, é considerado por Tapia o melhor terroir chileno para a Cabernet Sauvignon. Tem experiência de 150 anos na sua vinificação, que apresenta aqui varietais com taninos presentes mas macios, aromas mentolados, muita fruta vermelha e a acidez necessária ao equilíbrio do vinho, vinda da refrescância da Cordilheira dos Andes.

chilemapweb1