Inimigos do vinho

pic-post03

“Ouef d’une heure; pain d’un jour; vin d’um an.”

Ovo de uma hora; pão de um dia; vinho de um ano.

Antigo ditado popular francês sobre o tempo ideal na cozinha.

Existem elementos ou situações em que, sejam os degustadores enófilos experimentados ou iniciantes dedicados, a degustação do vinho sairá prejudicada, ou dela não tiraremos todo o prazer que pode nos proporcionar. E muitas vezes por isso, algumas pessoas tem falsas primeiras impressões. Senão vejamos (ou bebamos): • O fumo afeta o olfato e o paladar, diminuindo a nossa capacidade de perceber nuances mais delicadas de gostos, texturas e aromas, numa bebida leve como o vinho. Já o conhaque e um charuto são amasiados que se completam de modo muito apreciados por experts.

Aperitivos fortes, de alto teor alcoólico, como a cachaça e a tequila, reduzem bastante a sensibilidade das nossa papilas gustativas e por conseguinte a nossa capacidade de perceber as sutilezas do vinho, em especial dos brancos.

O vinagre se mistura e ao mesmo tempo se sobressai ao vinho, tornando tudo mais ácido.

Taças coloridas ou de metal, impedem uma prazerosa análise visual da cor, brilho e limpidez. É como comer no escuro.

• Perfumes acentuados dominam o ambiente e minimizam a possibilidade do reconhecimento dos incontáveis aromas dos vinhos, outro aspecto importante da apreciação completa.

Um ambiente quente, acima dos 27°C, não é convidativo para os vinhos, sobretudo os tintos, mas sim para uma cerveja gelada.

Comidas apimentadas em excesso, irritam nossa língua e a torna menos suscetível a degustar os sabores do vinho.

E por último mas não por fim, as más companhias, que com efeito tornam a celebração e o ato de dividir um bom vinho, um enfado.

Cardápio Bíblico

Tá no Antigo Testamento, em Levítico, Capítulo 11:

“Falou o Senhor a Moisés e a Arão, dizendo-lhes: Dizei aos filhos de Israel: Estes são os animais que podereis comer dentre todos os animais que há sobre a terra:… todo o que tem a unha fendida, de sorte que se divide em duas, o que rumina, esse podereis comer. Os seguintes, contudo, não comereis… O camelo, porque rumina, mas não tem a unha fendida, esse vos será imundo…a lebre, porque rumina mas não tem a unha fendida, essa vos será imunda; e o porco, porque tem a unha fendida, de sorte que se divide em duas, mas não rumina, esse vos será imundo…

…Tudo o que não tem barbatanas nem escamas, nas águas, será para vós abominável. Dentre as aves, a estas abominareis; não se comerão… a águia, o açor, o falcão ,o corvo, o avestruz, o mocho, a gaivota, o gavião…o abutre, a cegonha, a garça segundo a sua, espécie, a poupa e o morcego…

…Todos os insetos alados que andam sobre quatro pés, serão para vós uma abominação… Contudo, estes há que podereis comer de todos os insetos alados que andam sobre quatro pés: os que têm pernas sobre os seus pés, para saltar com elas sobre a terra; isto é, deles podereis comer os seguintes: o gafanhoto segundo a sua espécie, o grilo e a locusta*…”

*inseto da família dos gafanhotos.

Por via das dúvidas…eu vou de pão e vinho, obrigado.

A Ceia em Emaús