Qual o seu tipo de vinho?

“Lord, give me coffee to change the things i can change, and wine to accept the things i can’t” (flutuando pelo Facebook)

 Pratique Vinhoterapia

Restam poucas vagas para a 7ª turma de “Vinhoterapia”, organizada pela coluna no Espaço Gourmet: Curso interativo em 4 quintas feiras à noite,  sobre o “Fascinante Mundo do Vinho”. Grupo reduzido, ambiente aconchegante e descontraído, aulas teóricas e práticas, com degustação orientada de 8 rótulos de diversos países, acompanhados de pratos preparados especialmente para harmonização pelos Chefs Anisinho Rachid e Joanne Ribbas. Tipos de uvas e vinhos, como escolher, comparar, combinar, servir e degustar. Mais informações: 9987-9636 (Paulo Bocca), 9986-4200 (Lucrécia Donato)

curso de vinhos 5a turma

Qual o seu tipo de vinho?

Se você curte o vinho, mas não se sente seguro para responder prontamente esta pergunta, “dont worry”. O grande barato é justamente buscar o conhecimento para experimentar, comparar, apurar o gosto. Uma verdade: Quando a gente sabe porque gosta, gosta ainda mais. E outra, nada é definitivo. Como já disse Nietzsche, “A Vida Toda é uma Batalha entre Gosto e Degustação”.

Mas vamos a algumas dicas básicas, em relação à algumas  das uvas mais utilizadas, sejam como varietais (uma só uva) ou em corte, assemblage ou blend (mistura de uvas). Os conceitos a seguir dependem também dos processos de vinificação, armazenagem e idade do vinho, mas valem como referências.

Os mais leves e refrescantes, em geral sem madeira e para serem bebidos jovens, numa temperatura um pouco mais fria, em dias mais quentes e acompanhando comidas mais leves:

Uvas Brancas

  • Sauvignon Blanc, Chenin Blanc, Pinot Grigio, Riesling, Frascatti, Prosseco ou Glera, Torrontés

Uvas Tintas

  • Pinot Noir, Tempranillo, Gamay,

Os de médio corpo, às vezes com algum estágio em madeira, com textura um pouco mais densa e boa presença de fruta fresca, versáteis na harmonização com comida

Uvas Brancas

  • Viogner, Viura, Chardonnay, Semillon, Moscatel, Gewurztraminer, Alvarinho

 Uvas Tintas

  • Merlot, Carmenere, Cabernet Franc, PInotage, Barbera, Zinfandel ou Primitivo

Os mais encorpados e potentes, maduros e alcoólicos , muitas vezes com maior estágio em madeira, bons para acompanhar pratos igualmente mais estruturados.

Uvas Tintas:

  • Sirah ou Shiraz, Touriga Nacional, Tannat, Cabernet Sauvignon, Malbec

 
20 minutos, um prato e seu vinho

De quando em vez, receitas rápidas, fáceis e práticas, modestamente criadas ou adaptadas por este escriba e aprovadas por convivas de senso crítico, além de mim mesmo. E uma dica de vinho para candidato a par perfeito.

Carret suíno com abacaxi confitado e pimenta biquinho

IMG_0009

Ingredientes para 2 pessoas

500 g de costelinha suína – 4 batatas pequenas – 2 colheres de sopa de abacaxi picado em cubinhos – 8 pimentas biquinho – 2 xícaras de couve picada bem fininha – 1 dente de alho fatiado – 1 colher de sopa de cebola roxa ralada – uma pitada de salsinha –  1 colher de sopa de mel – 1 colher de sopa de molho de soja – 1 colher de sopa de azeite – 1 colher de sopa de vinagre balsâmico – sal a gosto

Preparo

Tempere a costelinha com sal e pincele com uma mistura do mel com o molho de soja. Asse cerca de 15 minutos com papel alumínio e 5 minutos sem, até dourar. Enquanto isso, descasque e cozinhe as batatas em água. Salteie rapidamente a couve com sal e o alho, no azeite bem quente e ponha num papel toalha. Faça o molho: Misture com azeite em fogo baixo, a cebola, o abacaxi, a salsinha e o vinagre balsâmico, nesta ordem, por 5 minutos.

Montagem

Faça uma pequena coroa com os ossos separados da costela, ao lado as batatas, uma porção de couve e o molho, finalizando com as pimentas por cima.

Vinho: Marques de Marialva reserva 2007

IMG_0056

Um D.O.C (Denominação de Origem Controlada) da Bairrada, em Portugal, feito pela Adega Cooperativa de Cantanhede com a uva Baga, tradicional especialidade desta região. Foi Medalha de Prata no concurso Monde Selection 2011 em Bruxelas e Ouro na Prodexpo 2012 na Rússia. Merecidamente. Os aromas (que evoluem muito taça a taça) de baunilha com toques herbáceos fica ótimo com os aromas adocicados do prato. Temos a boa acidez da tinta Baga, que combina muito bem com a carne de porco e a pimenta biquinho. No final longo, o vinho lembra especiarias, com 12 meses de carvalho francês e americano. Equilibrado, elegante de corpo médio, muito bom para beber depois de 3 anos de garrafa. 14% de álcool, temperatura de serviço: 12 graus. Preço: em torno de 70 reais no Brasil, 6 euros em Portugal.