Desmistificando a Harmonização de vinhos e comida: Romeu e Julieta

Gosto não se discute e é soberano. O que é saudável discutir é como formar, ampliar e evoluir um paladar, a fim de retirar de uma experiência gastronômica, o máximo prazer e deleite. A enogastronomia, ou a combinação de vinhos e pratos, é exatamente isso, e suas bases são, além de culturais, também científicas. Um tinto encorpado não se dá muito bem com frutos do mar, porque a combinação de taninos presentes em maior quantidade neste tipo de vinho em contato com o iodo presente nestes alimentos, resulta num sabor metalizado, devido a uma reação química.  Costuma-se dizer então que a fórmula da boa harmonização é: 1 + 1= 3. Ou seja, um bom vinho, corretamente harmonizado (seja por semelhança ou contraste) com determinado cardápio, resultam num terceiro elemento, que não é, nem o vinho nem o prato, mas uma combinação única, complementar e harmônica de ambos. E essa tal de harmonização não se dá só em relação ao vinhos, é uma constante em nossa vida. Pensemos, num exemplo bem cotidiano: goiabada sozinha é uma coisa, certo? Mas goiabada + queijo minas, é oooutra coisa, que não é nem um, nem outro, mas uma nova experiência de sabor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s