Vizinha Gostosa

Visitar Itapecerica hoje em dia é sempre um prazer. A renovada e simpática vizinha reafirma sua veia cultural e apresenta na sua pracinha principal a síntese da hospitalidade mineira durante mais uma edição do já tradicional Festival de Comida Caipira, acontecido entre 24 e 26 de Junho.  Mais de 20 barraquinhas típicas servindo do bom do melhor da nossa riquíssima culinária: Feijão Tropeiro, galinhada, feijoada, maneco de jaleco(delicioso caldo de fubá com couve e carne de porco), roscas, doces da fazenda, rapaduras… e fornalhas de barro soltando pães de queijo quentinhos em plena rua. Tudo regado a uma autêntica cachacinha artesanal de boa qualidade. No coreto, violeiros e sanfoneiros fizeram a trilha sonora. Emfim, tudo de bom para encontrar os amigos e celebrar nossas deliciosas raízes.

Tira Gosto:

Cebola é como palavrão. Crua e sozinha ninguém aprova.

Mas…comida mineira combina com vinho?

Claro que sim, duvida? Então experimente com os amigos neste friozinho uma noitada de caldos caipiras e vinhos, a harmonização vai surpreender. Algumas dicas, com vinhos que você geralmente encontra em lojas ou supermercados por aqui, todos na faixa entre 25 e 35,00.

  • Vaca Atolada (Caldo de mandioca com carne): tinto de médio corpo e alguma acidez, como o português Dão Grão Vasco, ou um pouco mais frutado como um Concha y Toro chileno Cabernet Sauvignon
  • Caldo de Pinto (galinha desfiada, milho, cheiro verde…) ou sopa de galinha com fubá: um branco mais encorpado com um chardonnay com passagem em carvalho, como o honestíssimo e amanteigado Aigles D’Aimery  francês, ou um  tinto jovem da uva malbec ou carmenére, de preferência com pouca ou nenhuma passagem em madeira, como os argentinos Finca La Linda ou Finca La Daniela.
  • Caldo de feijão com torresmo(não torresmo comprado pronto, por favor): Aqui um pouco mais de potência e taninos, para maior adstringência combinando com a gordura do prato. O Uruguai é o país típico da uva Tannat, que sozinha ou “amaciada”  com a Merlot no vinho Rio de Los Pájaros, vai fazer bonito.
  • Canjiquinha com costelinha: um português tinto com boa acidez da região do Douro, como um Porca de Murça, preferencialmente o Reserva, ou um da Bairrada, como o excelente Luis Pato da uva baga, perfeito também com um leitão á pururuca.

Detalhe importante: Não exagerar muito nos temperos vai ajudar na melhor hamonização com os vinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s